domingo, 22 de agosto de 2010

O amor por princípio, a ordem por base, o progresso por fim

A expressiva frase “ordem e progresso”da Bandeira Nacional Brasileira, extraída da formula máxima do positivismo, “o amor como princípio, a ordem por base, o progresso por fim” a princípio se divide em duas situações: uma de caráter moral, que é o amor, e, a outra de caráter estético, ou estrutural que é a ordem, tendo o progresso como finalidade; uma “máxima” com objetivo da ética, da justiça e da estrutura de vida em sociedade enquanto Estado.

A esfera introduzida na bandeira brasileira representa o céu do Rio de Janeiro com a constelação do cruzeiro do sul, um retrato do dia 15 de novembro de 1889, dia da independência; certamente a pretensão do Estado Brasileiro era de retratar a esperança de uma nação independente, com a nova ordem como objetivo, e o progresso como fim.

Entretanto, a vida em sociedade mais parece um caos, um desajuste do que propriamente ordem e progresso; quanto ao amor, esse sentimento se perdeu na ambição dos homens, no orgulho e na vaidade da vida dos homens que faz todos os dias escolhas equivocadas e vivem para si mesmos.

O mundo cada vez mais hostil, a sociedade cada vez pressionada por tantas aflições, conflitos e desafios impostos de maneira incisiva e violenta traz a tona a insegurança e o medo.

Perdeu-se a verdade e a disposição de aplicar a verdade, bem como a justiça e a retidão, e isso gerou o desconforto e o mal estar nos cidadãos de paz, que se sentem “presos” na violência, na desordem da impunidade, e na violência física vivida nas ruas.

A violência, porém, proporcionada pelos governantes e politicos despreparados para “estruturar o Estado” considero ainda a mais grave, pois estão incumbidos da tarefa de criar condições para o bem estar social, mas não o fazem.

Impõem aos cidadãos a violência da falta de vaga nas escolas, da falta de assistência médica, e odontológica, a falta de direitos garantidos na Constituição brasileira como educação, saúde, o trabalho, a moradia, o lazer, a segurança...Falta o direito ao preso, direito a integridade física e moral, e o direito ao consumidor; o que vemos é exatamente o contrário das garantias constitucionais.

Todos os dias vemos absurdos sendo praticados por políticos: pratica de roubo, uso indevido do dinheiro público, uso indevido de cartões de crédito, desvios de verbas, imóveis públicos utilizados de forma indevida, pergunto: quem haverá de colocar um fim nisso tudo? Os cidadãos de bem anseiam por justiça, e por ética. A impunidade gera mais corrupção, e os políticos contam com a “memória curta do povo”.

O que leva os políticos a se tornarem tão egoístas, senão o despreparo para governar um povo? O que leva uma Nação, um Estado, um Município a margem da exclusão de qualidade de vida, senão a arbitrariedade, a ineficiência e a falta de gestão de seus políticos e administradores? O que leva os cidadãos a se tornarem tão egoístas senão a falta de esperança em si mesmo e na sociedade mais justa e fraterna? O que faz um homem se tornar egoísta senão o sentimento que brota de um coração orgulhoso desprovido de amor? O que faz a ordem virar um caos senão a sensação de impunidade? O que faz o progresso ser impedido senão a desconfiança do investimento e a ambição desenfreada de alguns poucos homens que governam somente para si mesmos?

Cada dia mais os homens são atrevidos, arrogantes, enfatuados, amigos dos prazeres, do orgulho, são mentirosos, injustos, como pode prevalecer a paz numa sociedade que é composta de homens adoecidos pela falta de ética e pela falta de princípios de retidão, justiça e amor?

A família se perde a cada instante iludida com um padrão imposto por essa sociedade consumista e injusta que inverteu os valores, onde roubar, matar, mentir e se prostituir para alcançar êxito em seus propósitos tornou-se a ação e a prática constante.

O que vemos, porém, não é a instrução e a educação, mas o que presenciamos no dia a dia são filmes fúteis, programas de tv que apresentam futilidades, propagandas enganosas, e músicas que nada acrescentam, senão a incitação ao sexo, drogas, malicia, violência e descomprometimento total. A voz que ensina essa sociedade está corrompida!

Como recuperar os jovens que se perdem nessa geração, sem ajudá-los, e ensina-los a buscar o conhecimento que traz a virtude como resultado? Como ter uma sociedade mais justa se os governos não governam com espírito voluntário, ético, e responsável proporcionando uma educação para todos, no sentido mais amplo da palavra, como estrutura para a sociedade que se pretende de “ordem e progresso”?

A ordem sem ética, sem estrutura administrativa séria e justiça não existe! O progresso por fim não se atinge enquanto os governantes estiverem governando somente para si mesmos, entregando “o País” nas mãos de banqueiros, e estrangeiros, e alguns empresários, e políticos capciosos desprovidos do desejo de bem estar da sociedade.

Falta amor, falta virtude, falta ética, falta justiça, falta a verdade, e só conseguiremos despertar o desejo de mudança nas pessoas a partir da reflexão, pois somente a partir do conhecimento da alma do homem, do verdadeiro sentido da vida em sociedade é que pode haver esperança de dias melhores, a partir do ensino e do conhecimento-aprendizado é que se desenvolve as virtudes nos homens.

É plenamente possível alcançar êxito numa sociedade se houver educação, ensino, aprendizado para transformar o pensamento, que transforma também a atitude e atinge o objetivo da vida em sociedade com bem estar, gerando assim a esperança e o amor providencial que capacita a realizar mais porque acredita no que faz, e no País que reside.

Quando nos indignamos com alguma situação, nesse ato procuramos respostas, a tendência é a busca por mudança de pensamento e atitude. Somos dotados de inteligência e precisamos saber a que nos ater, e certamente a resposta que nos leva a uma vida melhor em sociedade é o amor a Deus, ao próximo, a ordem e o progresso!

Somente é possível combater a injustiça e a falta de ética com o conhecimento do bem, com a educação centrada em princípios e valores morais como o amor ao próximo, a ajuda ao próximo; o conhecimento prático que liberta das ilusões e enganos, e que traz como conforto a mudança da alma aprisionada pela falta de conhecimento, direção e segurança.

Para viver em sociedade é necessário “colaborar” com boas ações, agir com princípios morais éticos, com verdade, com amor, com justiça, elementos que também “contagiam” o próximo.

Os dias são difíceis, mas a esperança nos fortalece e nos faz prosseguir convictos que melhor é viver acreditando que tudo é possível, do que desistir, pois só conheço um tipo de pessoa que não vence: aquele que desiste! Acredite: é possível vencer os obstáculos, dificuldades, e conquistar, mas precisamos aprender que toda a conquista exige esforço, e disciplina, e requer de nós que sejamos bons administradores em tudo.

O nosso País tem excelentes perspectivas de qualidade futura de vida em sociedade, no comércio, na industria, na exportação, no ensino, no emprego, na produção de petróleo, porém, o povo precisa de união, de conhecimento para lutar por seus ideais, para melhorar a vida em sociedade, e os políticos brasileiros, todos sem exceção, precisam urgentemente aprender a administrar esse País com seriedade, com ética, com justiça, correspondendo aos anseios da sociedade para que seja fielmente cumprida a “ordem e progresso que se propõem a representar”.

Os políticos brasileiros devem aprender sobre sabedoria, domínio próprio, justiça e coragem, que são quatro virtudes essenciais para uma liderança eficaz, para não serem “seduzidos pelo brilho do cargo”.

Sabedoria que traz um conhecimento diferente do conhecimento secular aprendido significa uma percepção espiritual que habilita a praticar com destreza os princípios éticos e morais.

O domínio próprio para conter a cobiça dos olhos, a cobiça da carne que quer tudo o que não lhe pertence, e a soberba da vida, que é o orgulho do cargo, que faz “passar por cima do povo, e até da lei para preservar seu status”, conter a soberba para distinguir o que é dinheiro seu e dinheiro do Povo, mantendo-se em integridade.

A justiça para proporcionar ao povo a ordem, o exemplo. Atos práticos de decência, de uma mente esclarecida pela ética e pelo amor, pois a verdadeira justiça sempre está associada ao amor, atos coerentes que o cargo exige, de lealdade, de boas obras.

E finalmente a coragem para ser diferente de todos os corruptos que já lesaram esse País, para dizer não a corrupção, para atentar para sua própria conduta e fazer a diferença, deixar um legado na história, que não precisa ser inventada para parecer bonita, que traz esperança a Nação, autoridade a qual o povo se submete porque se sente seguro e sabe que pode confiar.

Deviam aprender também aplicar corretamente na prática o conceito e conhecimento aprendido para assim cumprir sua missão com fidelidade diante da sociedade, pois nós brasileiros estamos exaustos de tanto ser lesados.

Que prevaleça o bem e o amor nessa sociedade perversa e corrupta

Nenhum comentário: