quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Se eu Pudesse

"Se eu pudesse deixar algum presente a você,
deixaria aceso o sentimento de amar a vida dos seres humanos.
A consciência de aprender tudo o que foi ensinado pelo tempo afora...
Lembraria os erros que foram cometidos para que não mais se repetissem.
A capacidade de escolher novos rumos.
Deixaria para você, se pudesse, o respeito àquilo que é indispensável:
Além do pão, o trabalho.
Além do trabalho, a ação.
E, quando tudo mais faltasse, um segredo:
O de buscar no interior de si mesmo a resposta e a força para encontrar a saída."
(Mahatma Gandhi)

Grêmio Esportivo Valderez

Nasceu de uma necessidade e incentivado pelo esportista José Valter Friggi que ao me conhecer em 1985 me aconselhou a usar o meu próprio nome para identificar a equipe, nesse período iria se chamar “centro esportivo Valderez” um outra esportista me disse que para ser centro tinha que ter um local, o que esse esportista não sabia é que logo ia acontecer os clubes virtuais, mas pôr não ter conhecimento das coisas ainda acabei aceitando, e foi quando, havia em meu poder uma agenda que tinha o seguinte nome “Grêmio Recreativo Santos Dumont” então só tive o trabalho de trocar o Recreativo pelo Esportista e o resto vocês já sabem, uma outra curiosidade é a palavra grêmio se vocês quiserem saber vão até o dicionário vão descobrir porque que até hoje continuo com o mesmo nome.Durante mais de uma deca, fizemos Campeonatos na qudra do Jardim da Granja, Praça Hércules, quando em 1984 sair dos gramados e fui me aventurar no fusal, antigamente conhecido como futebol de salão, o esporte da bola pesada.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Houve uma vez dois amigos

Eles eram inseparáveis, eram uma só alma. Por alguma razão seus caminhos tomaram dois rumos distintos e se separaram.





E iSTO INICIOU ASSIM:
Eu nunca voltei a saber do meu amigo até o dia de ontem, depois de 10 anos, que caminhando pela rua me encontrei com a mãe dele. A comprimentei e perguntei por meu amigo. Nesse momento seus olhos se encheram de lágrimas e me olhou nos olhos dizendo: morreu ontem... Não soube que dizer, ela seguia me olhando e perguntei como ele tinha morrido.



Ela me convidou a ir a sua casa, ao chegar ali me chamou para sentar na velha sala onde passei grande parte de minha vida, sempre brincávamos ali meu amigo e eu. Me sentei e ela começou a contar-me a triste historia. Faz 2 anos diagnosticaram uma rara enfermidade, e sua cura dependia de receber todo mês uma transfusão de sangue durante 3 meses, mas....Recorda que seu sangue era muito raro?, Sim, eu sei, igual ao seu...

Estivemos buscando doadores e por fim encontramos a um senhor mendigo.

Teu amigo, como deves te lembrar, era muito cabeça dura, não quiz receber o sangue do mendigo. Ele dizia que de da única pessoa que receberia sangue seria de ti, mas não quiz que te procurássemos, ele dizia todas as noites: não o procurem, tenho certeza que amanhã ele virá... Assim passaram os meses, e todas as noites se sentava nessa mesma cadeira onde estás tu sentado e orava para que te lembrastes dele e viesse na manhã seguinte. Assim acabou sua vida e na última noite de sua vida, estava muito mal, e sorrindo me disse: mãe, eu sei que logo meu amigo virá, pergunta pra ele por que demorou tanto e entrega a ele esse bilhete que está no minha gaveta.



A senhora se levantou, regressou e me entregou o bilhete que dezia:

Meu amigo, sabia que viria, tardaste um pouco mas não importa, o importante é que vieste. Agora estou te esperando em outro lugar espero que demores a chegar aqui, mas enquanto isso quero dizer desde o céu tem um amigo cuidando de ti meu querido melhor amigo. Ah, por certo, te recordas porquê nós nos distanciamos? Sim, foi porque não quiz te emprestar minha bola nova, rsrs, que tempos... éramos insuportáveis, bom pois quero dizer que te dou ela de presente e espero que goste muito. Amo você: teu amigo para sempre

.
'Não deixes que teu orgulho possa mais que teu coração...
A amizade é como o mar, se vê o princípio mas não o final'

Recebido por e-mail

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

MEU TESTAMENTO

Um dia, um médico vai constatar que o meu cérebro parou de funcionar e de maneira irreversível, minha vida parou...
Quando isso acontecer não tente introduzir vida artificial no meu corpo, usando uma máquina.
Ao contrário :
Dê minha visão ao homem que nunca viu o nascer do Sol, um rosto de bebê ou o amor nos olhos de uma mulher;
Dê meu coração a uma pessoa cujo o próprio coração só lhe tenha causado dor e angústia;
Dê meus rins a alguém que dependa de uma máquina para existir semana a semana.
Tome meu sangue, meus ossos, cada músculo e nervo do meu corpo e descubra uma maneira de fazer uma criança paralitica andar. Explore cada canto do meu cérebro, pegue minhas células se necessário e as deixe crescer de modo que algum dia, um cara mudo grite gool!... quando seu time marcar, e que uma garota surda ouça o som da chuva contra sua janela.
Queime o que sobrar de mim e espalhe as cinzas ao vento para ajudar as plantas crescerem.
Se você quizer enterrar algo que sejam as culpas minhas e preconceitos contra meus semelhantes.
Dê meus pecados ao diabo e minha alma a Deus.
Se você quizer se lembrar de mim, faça-o com uma ação ou uma palavra de bondade a alguém que precise de você.
Se você fizer tudo o que pedi, viverei para sempre
autor desconhecido, mas considero como minha.